Sommelierie

Na temperatura certa

Por José Eduardo Pereira Barboza*

A temperatura de serviço dos vinhos move discussões acirradas. Por isso o seu gosto pessoal deve sempre prevalecer, nada de convenções engessadas ou proibições.

Se lhe agrada servir um tinto robusto mais frio ou um branco com uma pedrinha de gelo, vá em frente e desfrute o seu vinho como queira. No entanto, algumas dicas podem ajudar a extrair o melhor de cada estilo de vinho, captar em detalhes aromas e sabores de sua garrafa. A temperatura é um dos fatores que podem coroar sua experiência ou transformá-la em catástrofe.

Aquele mito de que o vinho deve ser tomado à temperatura ambiente, há muito foi superado. Principalmente aqui no Brasil, onde podemos encontrar facilmente temperaturas acima de 30 graus centígrados. Ou seja, fica impossível beber uma garrafa de vinho tinto sem refrescá-la!

Qual a temperatura?

Espumantes são melhor apreciados frios, os mais leves e frescos por volta dos 5 graus, chegando até 9 graus para os espumantes “safrados” especiais.

Os vinhos brancos devem ser resfriados para amenizar a acidez normalmente mais alta nesse estilo. O grande risco é servir muito frio. Nesse caso os aromas ficarão inibidos ou muito discretos. A depender da estrutura do vinho podemos servir entre 4 e 9 graus, quanto mais leve ou doce a temperatura será mais baixa. Em contrapartida, quanto mais robusto, mais perto dos 9 graus deverá ser servido.

Para os vinhos tintos, o cuidado com a temperatura é igualmente importante. Se passar dos 20 graus, sentiremos o álcool em primeiro lugar e pode até ser desagradável. Ao passo que se servido demasiado frio os taninos ficarão mais duros e a percepção de amargor será alta. Recomendamos ficar no intervalo entre 12 e 19 graus. Novamente aqui o corpo do vinho vai determinar a temperatura de serviço, quanto maior o corpo, mais alta a temperatura final.

Tabela de referência

Vinho Temperatura Método para resfriar (aproximado)
Espumante leves/doce 4 a 6oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 35 minutos
Espumante brut 6 a 8oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 30 minutos
Branco leve e doce  6 a 8oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 35 minutos
Branco seco 8 a 10oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 30 minutos
Rosé 8 a 10oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 25 minutos
Tinto leve 12 a 16oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 15 minutos, ou porta da geladeira por 25 minutos
Tinto médio 14 a 16oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 10 minutos, ou porta da geladeira por 20 minutos
Tinto encorpado 16 a 20oC Colocar a garrafa num balde com água e gelo por 5 minutos, ou porta da geladeira por 15 minutos

A guarda

Outra questão importante e sempre discutida é a forma e temperatura de guarda dos vinhos. Depois de escolher seus vinhos com todo cuidado e segundo sua preferência, chega a hora de guardá-los.

Algumas garrafas podem durar décadas, enquanto outras serão consumidas em menos de dois anos. Atualmente, dispomos de vários equipamentos para esse fim. As adegas são como móveis ou geladeiras especiais com capacidade entre 6 a 400 garrafas.

Para os aficionados, construir salas especiais com temperatura, umidade e iluminação controladas pode ser um grande hobby. O fato é que se você pretende manter suas garrafas especiais nas melhores condições, recomendamos um ambiente abrigado de grandes variações de temperatura e de preferência abaixo dos 13 graus constantes, iluminação mínima apenas no momento do manuseio das garrafas, umidade em torno de 75%, longe de odores e vibrações intensas e sempre na posição horizontal. Assim, seu vinho se manterá saudável!

 

* José Eduardo Pereira Barboza é sommelier na importadora Winebrands

 



Assine Nossa Newsletter

e receba novidades, promoções e convites para eventos da importadora Winebrands